sexta-feira, 21 de julho de 2017

Cultura convida artistas de Valinhos para expor nos espaços públicos








Tom Santos sempre lutou para levar a cultura brasileira a todas as classes sociais. Fosse por meio do teatro, fotografia, esculturas, música! E sempre incentivou movimentos que aproximasse os artistas de seu público.
Em Valinhos, trabalhou com mulheres, adolescentes, crianças, montando espetáculos teatrais de autores nacionais, levando a mensagem para pessoas de todas as idades.
Além de defender e divulgar o lugar de destaque que Adoniran Barbosa (filho ilustre desta cidade) deveria ocupar na história valinhense, também incentivou a divulgação das bandas de garagem da cidade, com o projeto “atravesse a linha e faça arte”.
O fato da Secretaria de Cultura e Turismo, através de seu departamento de Promoções Culturais, estar abrindo credenciamento para artistas valinhenses e da região, interessados em ocupar espaços públicos com seus trabalhos, muito nos alegra.
Segundo a imprensa oficial de Valinhos, entre os locais que foram disponibilizados para os artistas estão o Centro Cultural Vicente Musselli, a Biblioteca Municipal Doutor Mário Corrêa Lousada, o Museu e Acervo Municipal Fotógrafo Haroldo Ângelo Pazinatto, o Centro de Artes Cultura e Comércio (CACC) Adoniran Barbosa.
“O objetivo é mapear as organizações que produzem atividades artístico-culturais e implantar uma política pública de cultura no município, com a proposta de conhecer e apoiar os artistas do município e de toda região, nas mais diversas artes”, disse a secretária da Pasta, Ângela Giardelli.
A ideia é oferecer uma estrutura aos artistas e valorizar todos os trabalhos para que cada vez mais a cidade tenha nomes de projeção nacional e internacional.
Os interessados em participar devem entrar em contato com o Departamento de Promoções Culturais por meio do telefone 3849-7892.
A foto que ilustra a matéria, foi tirada por Tom Santos que, enquanto diretor cultural do Clube Bom Retiro, programou o 1º encontro de Bandas de Valinhos.





















Edição n.º 1017

Página 01

Notícias de longa data... “Conviver e Crescer”





 
Umberto Fabbri, foi um colaborador de peso do nosso NOTÍCIAS.
Em 11 de julho de 2014, na edição n.º 943 nos iluminou com este artigo..... 



Viver em sociedade faz parte das sabias Leis Divinas, entretanto esta Lei apresenta grande complexidade e desafios.
Por meio da convivência, seja ela em família ou em sociedade é possível o crescimento, tanto espiritual, quanto material. Aprendemos uns com os outros, observando e convivendo é possível aprender, dividindo experiências e conhecimentos. Aquele que aprendeu mais pode e deve dividir suas conquistas com os que estão ainda no início da jornada. Entretanto quando não há bondade, desprendimento, compreensão e fraternidade, o conviver, principalmente com os que nos são diferentes, pode gerar o preconceito e o sofrimento.
Ao observarmos a História da Humanidade, veremos que grandes desatinos já foram cometidos pela sociedade; em nome da paz, se fez a guerra, em nome de Deus se aplicou a violência e o desamor, em nome da liberdade muitos tiveram seus direitos cerceados. Tudo pela inexperiência e imaturidade espiritual. Muito já se caminhou, é verdade, e uma boa parte da Humanidade aprendeu a duras penas, que o que plantarmos colheremos e que não se pode ser feliz com a infelicidade do outro.
As leis humanas, apesar de imperfeitas, pois são feitas por nós, seres imperfeitos, tentam regulamentar a ordem social, para que seja possível uma vida justa e digna para todos.   Mas apesar do que muitos possam pensar esta ordem social tão almejada, deveria ser implantada em nosso modo de ser e viver, não como uma situação externa e imposta, mas sim íntima e individual. A maneira como vemos o mundo, a nós e as pessoas que nos cercam é fator preponderante para que consigamos viver em harmonia.
Jesus nos ensina o modo certo de convivência harmônica, no amor a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a nós mesmos. A Lei de Amor é a pedra fundamental que regula todas as outras. É compreensível que em nosso estágio evolutivo atual ainda não consigamos amar verdadeiramente, mas já nos é possível, respeitar o direito  do próximo, aceitando as diferenças, afinal de contas quem garante que o “nosso” modo de ser e viver é o melhor, o mais acertado? O único ser que pode servir de verdadeiro modelo em todas as circunstâncias é Jesus.
Não nascemos para a solidão, não crescemos e não sobrevivemos sozinhos, dependemos uns dos outros para a manutenção da vida, mas principalmente para evoluirmos. Mesmo no atrito, quando nos deparamos com as dificuldades de convivência, podemos também crescer. Nossos desafetos são os melhores professores, pois exigem nosso máximo, inúmeras vezes somos chamados ao desenvolvimento obrigatório de virtudes para a superação destas situações. Por exemplo, frente à ingratidão, à traição, ao desamor de uma forma geral, se não buscarmos a vivência da paciência, do perdão, da tolerância, podemos adoecer, física e espiritualmente.
O modo como convivemos, compartilhamos e dividimos o que já possuímos é o termômetro que demonstra nosso estágio evolutivo.

Pense nisto!


















Edição n.º 2017

Página 02

Traição tem solução?


... Continuação







Existem três pilares fundamentais para um bom relacionamento entre o casal: a comunicação, a capacidade de fazer plano juntos e a sexualidade. Quando algum desses pontos entra em desacordo há um desequilíbrio na harmonia do casal, por esse motivo é extremamente importante que o casal trabalhe esses pontos de sustentação da relação.
É preciso compreender que a traição tem sua função no relacionamento, ninguém trai sozinho. Geralmente existem motivações de ambos os lados para que ela ocorra, uma traição não ocorre apenas quando a relação já esgotou todas as suas possibilidades. Ela pode ocorrer por vingança, por necessidade de autoafirmação, por carência. Algumas pessoas traem por medo de estarem vivendo uma relação feliz e completa e se autossabotam. E a traição ainda pode funcionar como um complemento para a relação, através da qual o traidor se nutre daquilo que sente falta na relação, visto que ama @ parceir@ e sente que não consegue modificar na relação atual aquilo que o incomoda.
No entanto mesmo que ambas as partes tenham participação no motivo por trás da traição, trair é sempre uma escolha individual e é responsabilidade daquele que trai, existem muitos outros caminhos para transformar aquilo que precisamos na relação sem que a traição ocorra, portanto não é possível eximir a responsabilidade do traidor. É uma escolha e assim como todas as escolhas trás consigo suas consequências.
Ao decidirmos entrar em um relacionamento monogâmico, estamos nos comprometendo com o outro e isso significa que será preciso partilhar com o ele nossa liberdade. É preciso considerar que somos indivíduos antes de sermos casais, que cada parte dessa relação tem sua individualidade que deve ser respeitada. Precisamos estar completos de nós para partilharmos com o outro nossa existência. Algumas vezes nas relações sentimos nossa individualidade sendo invadida. Temos o direito de decidir e escolher sem precisar partilhar com quem está ao nosso lado, porém quando somos parte em um casal, precisamos ter a sutileza de pensar e preservar o outro nas nossas escolhas e decisões que dizem respeito unicamente a nós mesmos.
Muitos casais sentem uma dificuldade enorme em relação à comunicação, visto que o modelo de relacionamento socialmente aceito na maioria das vezes não considera a individualidade dos parceiros e passa a visualizá-los como um. Esse imaginário coletivo pode bloquear a comunicação, e as partes no relacionamento podem se sentir egoístas ao decidirem algo individualmente. Sabendo disso, podemos ficar atentos as nossas necessidades individuais e partilhá-las com o parceiro de maneira tranquila, sem imposições, mas estando abertos às novas possibilidades de relacionamento a fim de evitar medidas extremas como a traição.
Por outro lado podemos considerar que a traição não necessariamente é o fim do relacionamento, é possível que seja uma experiência de crescimento e amadurecimento da relação, tudo vai depender da maneira com que as partes envolvidas vão lidar com a situação. Muitas vezes é preciso buscar auxilio de um profissional para essas situações e a terapia de casal se torna então um espaço para que eles possam falar a respeito do ocorrido, das angústias que a situação pode ter gerado, dos possíveis traumas e dificuldades de relacionamento pós-traição, porém o foco da terapia se dá em ajudá-los a compreender e corrigir as dificuldades do casal para que através do fortalecimento da relação, do autoconhecimento e do conhecimento do outro, novas falhas sejam barradas pelo próprio casal.



































Edição n.ª 1017
Página 03



Coordenadoria do Bem-Estar Animal de Valinhos sai do papel


Valinhos tem agora um coordenador de Bem-Estar Animal (CBEA). Nesta sexta-feira (14), o prefeito Orestes Previtale nomeou o médico veterinário Mauro Pereira da Silva Neto para estar à frente do serviço. A nomeação é o primeiro passo para estruturar a Coordenadoria, que irá atuar junto a todos os órgãos municipais na implantação de políticas públicas voltadas à saúde, à proteção, à defesa e ao bem-estar dos animais domésticos.
 “O município tem perto de 18 mil cães e gatos e é de extrema importância o trabalho da Coordenadoria para a proteção dos direitos e garantias dos animais”, disse o novo coordenador.
A Coordenadoria é vinculada à Secretaria Planejamento e Meio Ambiente. A secretária da Pasta, Maria Silvia Previtale, disse que uma das primeiras medidas estruturadoras é a criação da equipe técnica, com o remanejamento de servidores como médico veterinário, um técnico veterinário e assistente administrativo.
A lei aprovada para instituir o serviço foi sancionada em maio de 2016, mas o funcionamento efetivo exigirá esforços da administração. “A estruturação da Coordenadoria vai depender da viabilização de recursos financeiros e de alocação de pessoal técnico. Mas, diante das dificuldades financeiras que a Prefeitura enfrenta, o processo demandará tempo e criatividade, inclusive por meio de verbas dos governos estadual ou federal ou, ainda, por emendas parlamentares”, afirma a secretária. “Outra alternativa é firmar parcerias com a iniciativa privada ou com as Organizações Não Governamentais”, complementa o coordenador Mauro.
A CBEA funcionará na Unidade de Controle de Zoonoses (UVC), e ficará responsável pelas ações de resgate de animais atropelados e em sofrimento; cadelas e gatas no cio; filhotes; animal mordedor; atendimento veterinário clínico e cirúrgico gratuito; entre outros. A Zoonoses fica na Alameda das Mangueiras, 828, Parque Valinhos.
A Coordenadoria vai formular políticas para a defesa e aplicação dos direitos dos animais; estimular, apoiar e desenvolver estudos e diagnósticos sobre a situação dos animais no município, além de promover campanhas de divulgação sobre a situação dos animais, seus direitos e garantias e firmar convênios nas áreas de políticas de proteção animal, entre outros.
O médico veterinário Mauro Neto está na Rede Municipal de Saúde desde 2003. “Será um desafio implantar um serviço novo, que será um diferencial na proteção animal. A Zoonoses até atua em algumas dessas áreas. O serviço é paliativo, pois a finalidade da UVC não é essa, mas evitar doenças nos animais que possam atingir o ser humano, como raiva, febre maculosa, leptospirose e dengue, entre outras”, explicou.
A CBEA, instituída no ano passado, era um desejo antigo de entidades e protetores da cidade. O vereador César Rocha (Rede), protetor da causa animal, foi um dos defensores da implantação.






ONG Adoções Corrente do Bem é pioneira em Valinhos na realização mutirões de castrações em gatos e cachorros


Com o apoio da Prefeitura, a Organização Não Governamental vai promover o primeiro mutirão de castração de cães e gatos, machos e fêmeas. A ação será realizada em duas etapas no Parque Municipal Monsenhor Bruno Nardini, que serão feitos por veterinários e assistentes voluntários, das 8 às 18 horas.
Os interessados em castrar seus animais devem enviar mensagem via Whatsapp para o número 981-236-491 e pagar R$ 80 mais um quilo de ração. É necessário informar nome completo, RG, CPF e endereço. Somente maiores de 18 anos podem fazer o cadastro. No próximo sábado (22), serão castrados 200 cães e no dia 29, será a vez de gatos.
Desde fevereiro, de forma pioneira em Valinhos, a ONG Adoções Corrente do Bem, tem feito mensalmente campanhas de castração a preço popular e realizando feiras de adoção todos os sábados na Casa de Rações Luiz Basetto.
Castrações a preços populares permitem que todos possam castrar seus animais, sem pesar no orçamento familiar. Desta forma, evita as crias indesejadas, além de inúmeras doenças e abandono dos filhotes.
O projeto Castração do Bem tem ganhado muita força, popularidade e reconhecimento, já que não tem fins lucrativos. Este trabalho é totalmente voluntário em prol da causa animal.








Edição n.º 1017

Página 04

Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo no Instituto CPFL



Emiliano Torres, diretor – O inverno


Pela primeira vez, o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, o evento mais importante brasileiro dedicado à cinematografia da América Latina e do Caribe, terá, em sua 12ª edição, a partir de 28 de julho, exibições no Instituto CPFL, em Campinas. 
Com curadoria de Francisco Cesar Filho e Jurandir Müller, a seleção conta com obras de Beto Brant, homenageado deste ano, produções recentes inéditas e trabalho da novíssima geração de realizadores. A entrada é gratuita, com retirada de ingressos 1 hora antes de cada exibição, por ordem de chegada.
Dos 102 filmes de 18 países da região selecionados, 13 serão exibidos em nove sessões (três por dia) na Sala Umuarama do Instituto CPFL. Três filmes nacionais abrem as sessões em Campinas do festival no dia 28/07: o inédito “Para ter onde ir”, de Jorane Castro, às 15h (confira o trailer: https://vimeo.com/184383967); “O Invasor”, de Beto Brant, às 17h; e “Apto 240”, de Dellani Lima, que terá première mundial no festival, às 19h.
No dia seguinte, o destaque é a Mostra Escoas de Cinema Cine Cilect 1, com a exibição de cinco curta-metragens na sessão das 15h.
Entre as atrações internacionais está ainda o argentino “Alta Cumbia”, de Cristian Jure, sobre um movimento musical jovem popular. Inédito no Brasil, o longa encerra a programação em Campinas no domingo, dia 30.
"A ocasião de levar parte da programação do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo à cidade de Campinas significa não apenas a ampliação do circuito do evento. Ela propicia aos cinéfilos da região a oportunidade de acesso a obras de rara circulação no Brasil produzidas por cinematografias das mais criativas e importantes da atualidade”, afirma Francisco Cesar Filho, curador do festival. Segundo ele, a seleção preparada para o Instituto CPFL traz uma panorâmica da programação geral, incluindo títulos inéditos no país vindos da Argentina, Chile, México e Uruguai, ao lado de produções de cursos superiores de audiovisuais e da homenagem ao cineasta Beto Brant.
"O festival acredita que esta sua primeira edição em solos campineiros seja o início de uma longeva parceria, a ser ampliada nos próximos anos”, diz.

Confira a programação completa:

28/07 | sex:
15h | para ter onde ir, de jorane castro, brasil, 2016, 119 min, 12 anos
17h | o invasor, de beto brant, brasil, 2001, 97 min, 18 anos
19h | apto 402, de dellani lima, brasil, 2017, 99 min, 16 anos
29/07 | sáb: 
15h | mostra escolas de cinema cine-cilect 1 (14 anos)
  •  herói urbano, de federico rodríguez, (héroe de ciudad), argentina, 2016, 14 min
  •  o brilho de teus olhos se extinguirá com a obscuridade do mundo, de pepe gutiérrez, (el brillo de tus ojos se extinguirá con la oscuridad del mundo), méxico, 2016, 10 min
  •  australia, de rodrigo ruiz patterson, méxico, 2016, 29min
  • tierra blanca, de gonzalo robles sanzur e javier palacios ahumada, (tierra blanca), méxico, 2017, 20 min
  •  melhores amigas, de martín de benedetti, (mejores amigas), uruguai, 2016, 9 min

17h | o candidato, de daniel hendler, (el candidato), uruguai/argentina, 2016, 84 min, 14 anos
19h | o inverno, de emiliano torres, (el invierno), argentina, 2016, 93 min, 14 anos
30/07 | dom:
15h | jesus, de fernando guzzoni, chile/colômbia/frança/alemanha, 2016, 85 min, 18 anos
17h | a região selvagem, de amat escalante, (la region salvaje), méxico/dinamarca/frança/alemanha/noruega/suíça, 2016, 100 min, 16 anos
19h | alta cumbia, de cristian jure, argentina, 2017, 97 min, 12 anos

Sala Umuarama | Entrada gratuita 1 hora antes de cada sessão, por ordem de chegada (2 ingressos por pessoa).






Edição n.º 1017

Página 05

Coletivo de Capoeira promove roda mensal neste sábado no CACC





Atividade tem apoio da Prefeitura, por meio 
da Secretaria de Cultura e Turismo

O Coletivo de Capoeira de Valinhos promove sua roda mensal neste sábado (22), das 13 às 18 horas, no Centro de Artes Cultura e Comércio (CACC) Adoniran Barbosa. A atividade conta com o apoio da Prefeitura por meio da Secretaria de Cultura e Turismo.
“A proposta é divulgar e preservar a prática da capoeira, uma manifestação brasileira considerada Patrimônio Cultural e Imaterial da Humanidade pela Unesco”, disse a secretária da Pasta, Ângela Giardelli.
Haverá vivência com o contra mestre Pingo e participação do grupo Maculelê e da Associação Cultural de Capoeira Novo Tempo. A programação contará ainda com roda infantil, toque de canjiquinha, samba duro de canjiquinha, samba de roda, apresentação de lavadeiras, angola em gege de canjiquinha, entre outros.
“É uma atividade de todo o coletivo da capoeira; porém, mensalmente, revezamos o grupo responsável pela parte didática da apresentação do coletivo, com a proposta de transmitir os diversos conhecimentos da capoeira e as diferenças que cada grupo possui”, explicou um dos coordenadores do Coletivo da Capoeira de Valinhos, Melk Alves.
A atividade é aberta ao público, porém os organizadores pedem a doação de um quilo de alimento não perecível que será revertido para o Fundo Social de Solidariedade.









Ingresso é doação de um litro de óleo ao Fundo Social

Um grande baile, promovido pela Divisão de Atenção ao Idoso, da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação, encerra o projeto Férias na Melhor Idade. O evento, com o tema Nos Tempos da Brilhantina, será nesta sexta-feira (21), às 13h30, no Centro Cultural e Artístico da Terceira Idade Roque Palácio. O ingresso será a doação de um litro de óleo, destinado às famílias carentes do Fundo Social de Solidariedade (FSS).
A secretaria do Desenvolvimento Social e Habitação, Dulce Maria de Paula Souza, explicou que eventos como o baile estimulam a convivência, a criação de vínculos e o bem-estar dessa camada da população. “O projeto está apresentando bons resultados, trazendo muita alegria, realização e satisfação aos usuários do programa do idoso”, afirmou.
Além do baile, os idosos ainda participaram de algumas atividades. Entre elas, gincana cultural, esportiva e interativa; zumba Show de Divas e Fazendo Arte na Melhor Idade.
Adesão – Outras entidades da cidade, que também trabalham com idosos, foram convidadas a integrar esta programação de férias. A Casa Aconchego dos Avós, uma das participantes, esteve presente inclusive na abertura do programa, com a Sessão de Cinema, no dia 11. “Os idosos assistiram ao filme Grease - Nos Tempos da Brilhantina”, completou a secretária.






Edição n.º 1017
Página 06








Prefeitos de Valinhos, Vinhedo e Itatiba planejam consórcio para a Saúde





Foto: http://www.vinhedo.sp.gov.br


Governos criam grupo de trabalho para diagnóstico da rede


O prefeito de Valinhos, Orestes Previtale, o prefeito de Vinhedo, Jaime Cruz, e o prefeito de Itatiba, Douglas Augusto Pinheiro de Oliveira, montaram um grupo de trabalho para estudar a consolidação de um consórcio intermunicipal de atendimento à Saúde, em parceria com o Hospital Galileo, as Santas Casas de Valinhos, Vinhedo e Itatiba, além das unidades básicas de atendimento.
A ideia é que os hospitais e a rede primária ampliem sua capacidade de atendimento, com mais estrutura e com um hospital-escola na Santa Casa de Valinhos.
O modelo de consórcio já é conhecido no Brasil. Em meio à crise que afeta o País, os prefeitos decidiram adotar medidas de caráter metropolitano e montar um grupo que fará o diagnóstico das duas redes de saúde para consolidar a integração. O trabalho de avaliação começa imediatamente. Com o consórcio, os pacientes poderão utilizar os serviços das três cidades.
Para a elaboração desse projeto, as prefeituras contam com o apoio do Instituto Sócrates Guanaes, do Instituto Matus e da Faculdade São Leopoldo Mandic, além de representantes de todos os hospitais.
Previtale afirmou que o momento é de crise e que as cidades precisam buscar alternativa para melhorar o atendimento. “Nós, de Valinhos, a equipe do prefeito Jaime Cruz, de Vinhedo, e do prefeito Douglas, de Itatiba, iniciamos esse diagnóstico das redes de Saúde das três cidades porque estamos dedicados a buscar um atendimento de qualidade para toda a população. Precisamos inovar”, disse. Previtale é médico e fez carreira no Sistema Único de Saúde (SUS).
O prefeito de Vinhedo, Jaime Cruz, afirmou que a criação desse grupo é uma saída para aliviar a rede. “A arrecadação dos municípios caiu e os serviços aumentaram. A população cobra qualidade no atendimento. Para tratar desse assunto com seriedade precisamos avançar. O modelo de consórcio hoje é eficaz e vamos avaliar a possibilidade de adotar esse sistema”, disse.
Para o prefeito de Itatiba, Douglas Augusto Pinheiro de Oliveira, a única maneira de superar a crise na Saúde é planejar medidas conjuntas. “Precisamos buscar mecanismos para otimizar a estrutura de saúde, as equipes e diminuir a espera dos pacientes para diversos procedimentos”, disse.
Instituições – Os representantes dos hospitais e dos institutos falaram sobre a necessidade de ampliar o atendimento e melhorar o serviço. Para o grupo, o modelo de consórcio é interessante para reduzir custos com planejamento, investir com transparência e diminuir as burocracias que travam compras de insumos e a ampliação da equipe de atendimento.
Consórcio – Os consórcios intermunicipais de saúde foram criados para, de forma autônoma, os municípios, geralmente vizinhos, se associem e passem a fazer a gestão conjunta do serviço de saúde. O modelo permite planejar as ações de caráter regional e ampliar os recursos para o atendimento.  Para que um consórcio seja instituído é preciso seguir uma lei federal que estabelece mecanismos de coordenação dos serviços.







Edição n.º 1017

Página 07

TRUMP ISOLA OS ESTADOS UNIDOS NO G20



Lamentável o comportamento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no G20, em matéria ambiental.
O G20, em reunião em Hamburgo, na Alemanha, isolou os Estados Unidos pela sua posição contrária ao Acordo de Paris sobre o Clima, assinado por 195 nações do mundo, mas que não obteve adesão de Donald Trump.
O próprio Papa Francisco (autor da encíclica ecológica Laudato Si) é também defensor do Acordo de Paris sobre o Clima, tendo entregue pessoalmente a sua encíclica a Trump, e solicitado que ele pensasse e revertesse sua posição. Mas Trump anunciou, em 1º de junho de 2017, que os Estados Unidos estariam fora do Acordo de Paris, por considerar esse acordo danoso à economia norte-americana, e ainda por acatar o parecer de certos cientistas que convenceram Trump de que a tese do aquecimento global é uma falácia. Por isso, os Estados Unidos não se preocuparam em ficar isolados, mantendo a posição contrária ao referido acordo, que já havia sido defendida por Trump, durante a sua campanha presidencial, no segundo semestre do ano passado.
A presidente da Alemanha, Angela Merkel (que irá concorrer ao quarto mandato, em setembro), disse que “ficou claro que não há um consenso, e o desacordo está em evidência”, mas Merkel lidera os países que aderiram ao Acordo de Paris sobre o Clima. A França, por exemplo, garantiu que até 2040, terá a maior parte de seus automóveis movidos à eletricidade, diminuindo assim o consumo de combustíveis fósseis. Mesmo assim, há muitos questionamentos sobre os interesses econômicos que movem a política ambiental internacional, com a introdução de novos padrões energéticos, com o discurso de preservação do meio ambiente. Para Trump, no entanto, as medidas propostas pelo Acordo de Paris sobre o Clima não asseguram o progresso. Por isso, ele manterá os padrões atualmente vigentes.
O que precisamos, na verdade, é de um meio termo, evitando extremismos, ainda mais os eminentemente ideológicos. O ambientalismo não pode também ser mais uma camisa de força ideológica, com radicalismos irracionais. É preciso manter o que há de realmente positivo nos avanços da ciência e da tecnologia, e evitar aquilo que degrada o ambiente, mas sem excessos. Hoje, o progresso conseguiu debelar muitas doenças e melhorar a vida das pessoas, mas é necessário coibir os abusos e viabilizar políticas que garantam a qualidade de vida para todos. Em razão disso o debate continuará em aberto, com polêmicas e questionamentos, mas o importante é que consigamos avançar com o que trará, de fato, melhorias para a sociedade, em todos os aspectos.
E quanto ao presidente Trump, no futuro, especialmente os Estados Unidos, pagarão um preço considerável por suas atitudes extemporâneas e retrógradas.























Edição n.º 2017
Página 08


sexta-feira, 14 de julho de 2017

Racismo e preconceito




É impressionante que, ainda nos dias de hoje, nos deparermos com uma cena grotesca, ocorrida durante uma partida esportiva, onde um grupo significativo de pessoas, se considerando superiores, pela diferença do tom de pele, gritam e ofendem um atleta.
A sexualidade, preferências políticas e religiosas, classe social e diferenças raciais, rixas esportivas e musicais... Tudo tem sido passível de preconceito e agressões verbais e físicas.




Bom seria que cada um usasse seu tempo ocioso para praticar solidariedade.
Sim, existem milhões de instituições que necessitam de mão de obra voluntária para darem andamento aos seus projetos. 




Em São Vicente, existe uma escola de Surf que desenvolve projetos maravilhosos.  Lá existem alunos de todas as idades, dos 7 aos 73 anos, portadores de Síndrome de Down, Paralisia Cerebral e alunos que buscam reabilitação. Em março deste ano (2014), 42 pessoas vieram de Dourados/MS, para um final de semana diferente. Dez monitores, quatro cadeirantes, dois deficientes visuais e trinta portadores de deficiência intelectual tiveram o primeiro contato com o mar. Sem dúvida, inesquecível para aqueles que tiveram o privilégio de participar deste projeto. (Alex Costa é o Mestre que vem à frente desta escola, e ela se localiza na Av. Ayrton Senna da Silva, Itararé, São Vicente)
Acordem pra vida! Ninguém é melhor do que ninguém! Estenda suas mãos e construa um mundo mais humano, mais digno para todos. Ajudar, além de tudo, é gratificante. Pensem nisso!







Publicado originalmente na 
Edição n.º 951 
de 05 de julho de 2014
































Edição n.º 1016

Página 01