sexta-feira, 29 de maio de 2015

A imprensa de Tom Quixote e seus Sanchos



A fortaleza do jornal não é dar notícia, é se adiantar e investir em análise, interpretação e se valer de sua credibilidade. Não é verdade que o público não goste de ler. Não lê o que não lhe interessa, o que não tem substância. Um bom texto, para um público que adquire a imprensa de qualidade, sempre vai ter interessados.” (Carlos Alberto Di Franco, O Estado de S.Paulo, 25/05, A2)



“Não existe um único assunto relevante que não tenha nascido numa pauta do jornalismo de qualidade. Os temas das nossas conversas são, frequentemente, determinados pelo noticiário e pela opinião dos jornais. A imprensa é, de fato, o oxigênio da sociedade.

O jornalismo não é antinada. Mas também não é neutro. É um espaço de contraponto. Seu compromisso não está vinculado aos ventos passageiros da política e dos partidarismos. Sua agenda é determinada por valores perenes: liberdade, dignidade humana, respeito às minorias, promoção da livre-iniciativa, abertura ao contraditório. Por isso os jornais são fustigados pelos que desenham projetos autoritários de poder.

O jornalismo sustenta a democracia não com engajamentos espúrios, mas com a força informativa da reportagem e com o farol de uma opinião firme, mas equilibrada e magnânima.”

O jornal NOTÍCIAS de Valinhos sempre se norteou por esses princípios tão bem colocados pelo articulista do Estadão.

Impresso ou online  (http://noticiasdevalinhos.blogspot.com), o jornal do Tom Quixote e de seus Sanchos Pança (Josefina Palácio, Maria Inês Otranto, Beatriz Sauerweing, Cristina Morse e Wilson Vilela) continuará a mantê-los sempre como lema, ao investir em análises críticas e interpretação, valendo-se da credibilidade adquirida em 19 anos de circulação.



















Edição n.º 989 – página 01


Parabéns Valinhos pelos 119 anos!




O encerramento das festividades em comemoração ao aniversário de Valinhos reserva à população um final de semana cheio de atividades de lazer, cultura, esporte e saúde, no CLT (Centro de Lazer do Trabalhador) ‘Ayrton Senna da Silva’, nos próximos dias 30 (sábado) e 31 (domingo). O município completou nesta quinta-feira (28) 119 anos de elevação à categoria de Distrito de Paz.

No sábado do dia 30, em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo, o ‘Grupo de Escoteiros de Valinhos’ apresentará no CLT quatro índios pertencentes à tribo Kariri Xocó do estado de Alagoas.

A atividade terá início às 16h e prosseguirá até 21h, quando o público presente poderá conhecer detalhes desta cultura indígena. Os índios contarão histórias tribais, demonstrarão técnicas de pinturas e cantarão ao redor de uma fogueira canções indígenas.

Já no domingo (31) as atividades serão promovidas a partir das 8h até por volta das 17h. Logo cedo, às 8h30, está prevista a saída dos ônibus que levarão turistas aos roteiros de Agroturismo e Ecoturismo à região rural do município.

Também pela manhã, a partir das 9h, haverá apresentações das corporações musicais de Valinhos, Vinhedo, Louveira e Indaiatuba. Na oportunidade, o ex-maestro da Corporação de Valinhos, José Campos Reinato, será homenageado.

Das 8h às 12h, a Secretaria da Saúde levará o programa ‘Ação Saúde’ quando os visitantes do Centro de Lazer poderão fazer testes de diabetes, medir a pressão arterial, fazer avaliação bucal e receber orientações sobre Dengue, Febre Maculosa e animais peçonhentos.

A academia de Kung Fu ‘Shaolin do Norte’ será um dos destaques, às 10h. E haverá apresentações do teatro de fantoches “O Curumim e o Jaboti Sabido’, que integra o projeto da Prefeitura ‘Teatro na Educação’, em sessões às 10h30 e 15h.

Estão, inclusive, programadas apresentações de dança e música dos alunos do Centro Cultural ‘Vicente Musselli’ e feira de artesanato no decorrer do dia organizada pelo Clube de Mães e pelos grupos ‘Estação das Artes’ e ‘Largo São Sebastião’ com a participação de 40 artesãos. A programação ainda contempla, no período da tarde, aula aberta de zumba, oficina de construção de flauta doce (das 10h às 13h), pintura de rosto, espaço biblioteca, Dog Show do Canil da Guarda Civil Municipal. Às 15h30 haverá apresentação de Hip Hop do Conservatório de Campinas.

Dentro da programação da festa de encerramento das comemorações do aniversário de Valinhos no CLT, o público terá a oportunidade de prestigiar duas apresentações também imperdíveis, uma ao som de Hang Drum, um instrumento que remete ao relaxamento, e outra ao som de pandeiros e afins e muito samba.

Às 16h, o valinhense Phelipe Agnelli, de 30 anos e há 15 atuando como músico, tocará o Hang Drum, um dos instrumentos mais melódicos da atualidade, no mercado desde 2000 e criado por um casal suíço que mais parece um disco voador. O músico conta que ao ser tocado com o toque dos dedos e da palma da mão, como um instrumento percussivo, o Hang Drum é ecoado como uma espécie de sino ou gongo oriental e até com semelhança ao som de um piano.

‘O Grupo Versá e Amigos’ tocará os sambas de Noel Rosa, Cartola, Nelson Cavaquinho, Adoniran Barbosa, João Nogueira, entre outros. O CLT fica na Avenida Dr. Altino Gouveia, s/nº, no Jardim Pinheiros.



























Edição n.º 989 - página 989

AH! SE EU TIVESSE...




“Certa vez, um homem caminhava pela praia numa noite de lua cheia. Pensava dessa maneira: Se tivesse um carro, seria feliz... Se tivesse uma casa grande, seria feliz... Se tivesse um trabalho melhor, seria feliz... Foi quando tropeçou numa sacola cheia de pedras.
Ele começou a jogar as pedrinhas, uma a uma, no mar, cada vez que dizia: eu seria feliz se tivesse...
Assim fez ficando somente com uma pedrinha na sacola, e decidiu guardá-la. Ao chegar à casa percebeu que aquela pedrinha era um diamante muito valioso.
Quantos diamantes ele jogou no mar, enquanto não parava de sonhar no que poderia ter?”



Quantas vezes agimos dessa maneira!
Jogamos fora preciosos tesouros porque esperamos aquilo que julgamos ser perfeito e melhor. Porque desejamos o que não temos agora. Porque não valorizamos o que está perto de nós!
Queremos viver e, no entanto, no cotidiano, fazemos e pensamos o que contraria a vida, dando atenção para as coisas que dispersam as nossas energias...
Valorizar o que temos! O que conseguimos conquistar com o próprio esforço. Valorizar e descobrir os dons e talentos que recebemos e que precisam se tornar concretos para nossa realização e alegria das pessoas com quem convivemos.
Precisamos desenvolver a qualidade da persistência para realizar as metas e objetivos que temos. E como diz Dom Helder Câmara: “É graça divina começar bem. Graça maior é persistir na caminhada certa. Mas a graça das graças é não desistir nunca.”
Muitos imprevistos e dificuldades podem surgir durante nossa vida. Mas, nunca desistir! Pode ser que alguns dos nossos sonhos não se concretizem, mas a consciência do esforço, do empenho e da dedicação nos encoraja para ir em frente, na busca de outros!
Antes de jogar fora a “pedrinha” que temos nas mãos é preciso olhar e examiná-la, pois ela pode ser muito preciosa!




















Edição n.º 989 – página 03

Maria de que??




É impressionante como os casos de agressão por ciúmes e problemas de relacionamento continuam aumentando.
A vida não tem mais valor... “Se ñ tenho você, ninguém mais terá...” Essa é a frase predileta dos parceiros agressores. Não levam em consideração nem mesmo a existência de filhos.. E se esses filhos forem de um relacionamento anterior, aí sim danou-se!


O estado afirma se importar, que por esse motivo aprovou a Lei Maria da Penha. Mas o que não entendem é que esta lei é apenas o pontapé inicial. Depois que recebemos o carimbo “proibido se aproximar”, precisamos ter a garantia que será cumprida a ordem. Precisamos de uma moradia segura para nós e nossos filhos, precisamos de escolas em período integral (realmente integral) para que possamos trabalhar fora, com a certeza de que as crianças estarão amparadas e protegidas.
Uma boa ideia seria monitorar 24h os companheiros agressores, por meio de chips implantados de forma subcutânea, para que não possam ser extraídos. Dessa forma, também poderíamos saber que um homem tem histórico violento antes de iniciar um novo relacionamento.



Muitos iriam repudiar essas iniciativas, alegando que o que aconteceu uma vez pode não vir a se repetir, ou que todos merecem uma segunda chance, ou qualquer outro argumento que só funciona quando não se tem ninguém próximo que tenha vivenciado este problema.
De tanto dar a outra face, de dar novas infinitas chances, o Brasil se encontra neste caos onde os bandidos são mais organizados. Na certeza da impunidade, bandidos cada vez mais novos, matam, estupram, assaltam e agridem suas companheiras, como se fôssemos propriedade intransferível.
Acorda Brasil!
















Técnicas inovadoras utilizando pequenos cortes e equipamentos modernos prometem por fim ao temor que as pessoas sentem do procedimento.
A tecnologia pode ser uma importante aliada da medicina. Novas técnicas descobertas – e já utilizadas – prometem mais eficiência, menos riscos e mais tranquilidade no pós-operatório. São as Cirurgias Minimamente Invasivas.
Imagine o seguinte quadro: uma mesa de cirurgia, um conjunto de instrumentais, um ambiente hospitalar e cerca de 60 centímetros de coluna vertebral inteiramente aberta e exposta aos elementos. Até um tempo atrás esse era o cenário de uma cirurgia de coluna.
Não é mais assim, não em todos os casos. As Cirurgias Minimante Invasivas – como o próprio nome sugere – visam a causar menores agressões ao organismo. Nesse caso são realizados pequenos cortes no local a ser operado, ao invés de um grande corte como o relatado acima. Com o auxílio de aparelhamentos modernos, como câmeras de vídeo inseridas nos instrumentais, equipamentos de Raios-X, entre outros, o cirurgião consegue fazer o procedimento com igual eficiência, e mais segurança, mas causando menos impactos.
Os tratamentos mais modernos usam novas tecnologias, que visam a diminuir os riscos e complicações cirúrgicas, focando sua ação na zona doente, que é a fonte da dor. Os benefícios para o paciente são inúmeros: a redução no tamanho do corte diminui o porte da cirurgia produzindo menos sangramentos, dor e exposição a microrganismos que podem causar infecção. Além disso, o tempo de internação diminui consideravelmente, bem como a recuperação.
Apesar das vantagens desse conjunto de técnicas, os médicos ainda enfrentam entraves, pois os custos dos equipamentos, implantes e dispositivos descartáveis em algumas situações são mais altos, o que desestimula o investimento por parte dos hospitais, sejam eles privados ou públicos. A chave para o destravamento desta questão é a comprovação numérica das vantagens financeiras em longo prazo como diminuição dos custos hospitalares, cuidados pós-operatórios e de reabilitação.


O Dr. Pil Sun Choi é ortopedista, fundador e atual presidente da Federação Mundial de Cirurgia Minimamente Invasiva de Coluna (www.wfmiss.com). É pioneiro na introdução e propagação das técnicas de Cirurgia de Coluna Minimamente Invasiva (CCMI) e foi homenageado durante o IV COMINCO como “líder global” em CCMI.
Atualmente, o Dr. Pil Sun Choi é o líder do Grupo de Cirurgia de Coluna Minimamente Invasiva do Hospital S.José da Beneficência Portuguesa de S. Paulo (GCCMI do HSJ/BP/SP) recém-criado para atender desde os casos mais simples até os mais complexos.






Edição n.º 989 – página 04

61ª ROMARIA DE VALINHOS




 CONVIDAMOS OS ROMEIROS DESTA CIDADE E REGIÃO A PARTICIPAREM COM A APROVAÇÃO E BÊNÇÃO ESPIRITUAL, COMEMORAREMOS A 61ª MANIFESTAÇÃO DE FÉ DOS HOMENS DESTA CIDADE PELA PAZ DO MUNDO



DIA 05 DE JUNHO

Às 7 horas, saída na Festa do Figo, será dada benção e em seguida os animais serão embarcados e descarregados no local denominado Santa Clara, em Jundiaí. A Romaria estará em Pirapora às 16 horas.
DIA 06 DE JUNHO
Às 19 horas, será celebrada a Santa Missa.
DIA 07 DE JUNHO
Às 7 horas dar-se-á o regresso, comparada no mesmo local denominado Santa Clara. Os animais serão embarcados e desembarcados no recinto na Festa do Figo.


A DIRETORIA NÃO SE RESPONSABILIZA POR ACIDENTES QUE VENHAM OCORRER COM OS ANIMAIS, VIATURAS E PESSOAS DURANTE A ROMARIA.

OS REMÉDIOS VETERINARIOS USADOS DURANTE A ROMARIASERÃO COBRADOS À PARTE DO PROPRIETÁRIO DO ANIMAL

OBS.: PEDIMOS A COLABORAÇÃO DOS CAVALEIROS, PARA QUE SEUS ANIMAIS SEJAM FERRADOS E TRATADOS ANTECIPADAMENTE, OS ANIMAIS FERRADOS DURANTE A ROMARIA SERÃO COBRADOS À PARTE.


Nota: Os romeiros deverão partir juntos, manter o máximo de respeito e disciplina, pois a viagem não é recreio e sim de devoção e pedir graças ao Senhor Bom Jesus de Pirapora. Os distintivos serão vendidos a R$ 5,00.








Edição n.º 989 – página 05

Parabéns Valinhos!















Edição n.º  989 - página 06

SEGMENTAÇÃO DE MERCADO E A ERA DA INFORMAÇÃO


“As organizações precisam de criatividade para encontrar parceiros que possam complementar suas forças e compensar suas fraquezas.” 
Philip Kotler, em 2011


Atualmente, a segmentação de mercado está muito mais relacionada ao estilo de vida. Os tradicionais padrões de medição consideravam apenas gênero, classe, renda e idade. A sociedade mudou, o mercado também.



“Classe social não se mede por renda, nem por posse de produto ou escolaridade e sim, por lógica de pensamento. As agências precisam avaliar como as pessoas pensam, praticam o consumo e o que as faz comprar, dentro da hierarquia de valor que estabelecem. O que houve, no Brasil, foi uma mobilidade social dentro das classes”, afirma Hitaine Yaccoub – especialista em Antropologia do Consumo.


O certo é que não há mais lugar para estereótipos, já que as mudanças são muitas, rápidas e quase imprevisíveis.

É neste contexto que a pesquisa ganha destaque. Conhecer mais acerca do comportamento humano e contextos sociais e culturais, é imprescindível.



A era da informação exige conteúdos relevantes. Como se diz, “uma coisa puxa a outra”. Portanto, é preciso investir no conhecimento, para ser relevante. São processos contínuos, que exigem atualização contínua, a fim de que não se tornem obsoletos. Num primeiro olhar, parece um objetivo difícil de ser alcançado, mas é só mesmo questão de adequar-se à nova ordem – de que tudo é passível de mutação e de adaptação. Dá mais trabalho, exige mais empenho, mas é um processo dinâmico e enriquecedor.


Há o tempo de avançar e o tempo de recuar. De manter e de renovar. De ir e de ficar. Quem se mantém ativo, atualizado, tem maiores possibilidades de que sua percepção continue aguçada. Às vezes, pausas podem significar avanço, num futuro próximo.

Uma característica comum aos que alcançam sucesso, reconhecimento e respeito no mercado em que atuam, seja qual for o ramo de atividade, é a capacidade de estabelecer metas, conhecendo suas forças, fraquezas e potenciais de evolução e crescimento. Então, mãos à obra!





Edição n.º 989 - página 07




Ajuste fiscal corta verbas da Pátria Educadora



Para o segundo mandato que lhe foi outorgado pelo povo brasileiro, a presidente Dilma Rousseff escolheu um novo lema para identificar a prioridade que iria marcar o seu governo: “Brasil Pátria Educadora”! A presidente acuada pelas manifestações populares, das ruas, resolveu que o seu governo iria se dedicar prioritariamente à educação. Fiquei feliz, muito embora a saúde e a segurança do povo também estejam a merecer essa mesma ênfase de atenção e dedicação.

Contudo, em função do pacote do tal ajuste fiscal, não posso deixar de constatar quanto esse lema foi mero jogo mercadológico vazio.

Com efeito. O governo brasileiro anunciou mais cortes no orçamento de 2015, por conta do ajuste fiscal, totalizando 69,9 bilhões de reais. Todos os ministérios foram afetados, inclusive e notadamente o da Educação. Vários programas sociais também foram atingidos, menos o Bolsa-Família. Mas o Minha Casa Minha Vida não receberá o que havia sido previsto para este ano, perdendo quase seis bilhões de investimentos. Foram 21,4 bilhões de reais de cortes nas emendas parlamentares, e muito mais. Não apenas a Educação, mas a Saúde também perdeu 11,7 bilhões de reais. É o maior aperto nas contas em todo o governo das gestões do PT, em nível federal. Projetos de infraestrutura foram priorizados, principalmente os que estão sendo concluídos.

O fato é que o povo sentirá no bolso os cortes feitos, o que evidencia a gravidade da crise econômica, já anunciada pelos opositores do atual governo ainda durante a campanha eleitoral do ano passado. É evidente que muita coisa foi maquiada para garantir a reeleição da presidente, mas agora começamos a sentir os efeitos de uma crise que não é reflexo da crise internacional, como alguns governistas tentam justificar, mas também da gestão do próprio governo, que precisou manter o clientelismo para garantir mais um mandato.

O que chamou a atenção nos cortes feitos é que tanto a Educação, quanto a Saúde, foram atingidos, o que não se esperava, tendo em vista os compromissos sociais do governo, assumidos em campanha. Estados e Municípios sofrerão os efeitos do ajuste fiscal, que certamente implicarão no resultado das eleições municipais do próximo ano. Ainda no discurso de posse do segundo mandato, a presidente Dilma chegou a dizer que o lema do seu segundo governo seria "Brasil Pátria Educadora". Foi o que afirmou: “Estamos dizendo que a educação será a prioridade das prioridades, mas também que devemos buscar em todas as ações do governo um sentido formador, uma prática cidadã”. Mas não foi o que mostrou com os cortes feitos em função do ajuste fiscal.

Ora, senhoras e senhores: Educação e Saúde não poderiam ser penalizadas, ainda mais por quem se diz governar para os mais pobres, com justiça social. Não há como valorizar a educação sem garantir os investimentos que se fazem necessários, por isso é preocupante a situação. Cada dia vamos percebendo o quanto aumenta a violência e a degradação moral, a banalização da vida, o descaso para com a ética e a corrosão dos valores. O governo precisa estar atento a tudo isso, e dar respostas mais efetivas diante das demandas existentes. Para que a "pátria cidadã" seja uma realidade, é preciso que haja mais do que palavras de boas intenções, mas ações concretas, pois só assim será possível o desenvolvimento que todos buscamos.

 













Edição n.º 989 - página 08




sexta-feira, 22 de maio de 2015

A outra arte de Caymmi


É tudo muito simples, natural. Eu parto de cenas reais, na maioria das vezes, corriqueiras até. No entanto, são necessários uns olhos especiais para se ver a música, que é abstrata. Assim, eu primeiro vejo a música. Depois a absorvo e logo após a transformo em canção. Aí entram a imaginação e a observação e eu ilustro as músicas, como “Marina”, “Milagre”, “O que é que a baiana tem?”, “Dora”, “A preta do acarajé”, “Pescador”, e outras.”






Essa surpreendente faceta de ilustrador do imortal compositor e cantor baiano está revelada na exposição “Aos Olhos de Caymmi – Exposição de Canções Ilustradas” (com imagens e cenários tipicamente baianos: o coqueiral de Itapuã, a areia branca do Abaeté, as festas populares, uma puxada da rede ou um acarajé com vatapá), que a Fundação Memorial da América Latina (São Paulo) inaugurou no bonito espaço do Salão de Atos Tiradentes.
Além de cópias das partituras originais das músicas, o público vai conhecer dez ilustrações feitas a partir de canções de Dorival Caymmi pertencentes ao arquivo da família, assim como áudios, vídeos e instalações que fazem um resgate histórico para a cultura nacional.
A mostra fica em cartaz até 14 de junho.





Mil vezes preferível ver e ouvir essas belezas, em vez de assistir, ler ou ouvir o que vem sendo divulgado pela mídia a respeito das mazelas da política nacional.











 Edição n.º 988 - página 01





Audiência pública apresenta propostas ao Plano Municipal da Educação



Documento será encaminhado à Câmara para virar lei. Aprovação é condição para repasses de verba pelo Governo Federal

A população de Valinhos teve a oportunidade de se manifestar sobre o Plano Municipal da Educação, que traçará as políticas públicas para a área nos próximos 10 anos, em audiência pública promovida pela Prefeitura na noite desta segunda-feira (18), na sala Ivan Fleury Meirelles.
Quatro representantes da comunidade se inscreveram para apresentar propostas ao documento. São elas mudança da nomenclatura da função de auxiliar de desenvolvimento infantil, a integração dos agentes administrativos das escolas ao quadro de profissionais da Educação e a promoção de eleição entre a comunidade para a nomeação dos diretores das escolas.
Segundo o diretor de Apoio Administrativo da Secretaria da Educação, Juraci Caetano, que presidiu a audiência representando o secretário, Danilo Sorroce, essas considerações serão avaliadas se poderão ser incorporados ou não ao Plano. O documento final será encaminhado à Secretaria de Assuntos Jurídicos e Institucionais para elaboração do projeto de lei, que será encaminhado para aprovação dos vereadores.
O diretor lembrou que o prazo final dado pelo Ministério da Educação para os municípios aprovarem os seus Planos é 25 de junho deste ano. O não cumprimento acarretará no corte de repasses de verba do Governo Federal para a área da Educação.
Entre as metas definidas no Plano do município estão ampliação do atendimento da demanda de 0 a 3 anos nas creches municipais; ampliação do número de professores I para atuação nas creches no prazo de cinco anos; promoção de atividades extraclasse em parceria com as secretarias de Cultura e Esportes; atualização da estrutura física das escolas de ensino fundamental com bibliotecas, quadras, laboratórios e salas de informática; disponibilização de materiais pedagógicos adequados para escolas que atendam alunos com deficiência e altas habilidades e garantia de profissionalização desses alunos em cooperação com outros órgãos; maior apoio à formação inicial e continuada aos professores da rede; e ampliação de vagas para a Educação de Jovens e Adultos.
Juraci Caetano destacou que a aprovação do PME representa uma grande conquista para a área da Educação. “A partir da implantação do Plano Municipal da Educação, a população conhecerá e poderá fiscalizar o cumprimento das metas pelos governantes nos próximos 10 anos”, salientou.
O evento contou com a presença de cerca de 30 pessoas, na grade maioria profissionais da área da Educação. Os vereadores Antonio Soares Gomes Filho ‘Tunico’, Israel Scupenaro, Paulo Roberto Montero e Gilberto Aparecido Borges ‘Giba’ estiveram presentes, bem como o presidente do Conselho Municipal da Educação, Henrique Marques Mendonça.

Histórico – O Plano Nacional da Educação de Valinhos começou a ser elaborada em 2010, a partir da realização em outubro de Conferência Municipal da Educação, com a participação de representantes dos diversos segmentos da sociedade. Na oportunidade foram eleitos delegados representantes de todos os segmentos ligados à Educação que, juntamente com técnicos da Educação, elaboraram o documento base do Plano entre novembro de 2010 a agosto de 2011.
Já em setembro de 2011 foi realizada nova Conferência Municipal da Educação para apresentação da minuta do Plano e entrega do documento base ao Conselho Municipal da Educação para encaminhamentos necessários. Em maio de 2012, a Secretaria de Assuntos Jurídicos e Institucionais da Prefeitura orientou novos estudos e adequações ao documento base de acordo com as diretrizes do Plano Nacional da Educação, que estava em discussão.
Entre junho de 2012 a dezembro de 2013, a partir das manifestações do Conselho, o documento base tramitou pelas secretarias municipais para estudos de impactos e respectivas manifestações. Já entre fevereiro de 2014 a abril de 2015, foram realizados novos estudos e adequações com base nas diretrizes dispostas no Plano Nacional da Educação (2014-2024). E agora nesta segunda-feira foi realizada a audiência pública para apreciação do Plano.















Edição n.º 988 - página 02

A TRILHA! A VEREDA!




“A trilha era a mesma para todo mundo. Ao descer do ônibus, todos receberam um mapa, algumas instruções simples e foram liberados para a caminhada. Como sempre, um grupo de apressados saiu em disparada, como se fosse uma corrida para ver quem chegava primeiro. O grupo do meio saiu “em ondas”, uns mais tranquilos, outros nem tanto, mas basicamente todos curtindo o momento. Junto desse grupo maior foi o primeiro guia. E para trás ficaram, como sempre, os enrolados: um que esqueceu o protetor solar, outra que queria trocar a camiseta, um que precisou ir ao banheiro, enfim, os retardatários. Com eles, outro guia um senhor de mais idade, calmo, queimado de sol, e com muitas histórias para contar.
O primeiro grupo, o dos apressados, passou por uma cabana abandonada, e nem reparou. Um deles comentou: “Que coisa, ninguém cuida de nada aqui”. Meia hora depois, o segundo grupo passou pela cabana, e o guia falou: “esta cabana que vocês estão vendo abandonada queimou há dez dias, quando um grupo de jovens veio acampar e se descuidou”. Todos olharam com pena e prosseguiram.
O terceiro grupo passou por ali e parou. O guia lhes contou que a cabana havia sido construída originalmente por um garimpeiro em 1890 e que ele tinha passado 33 anos cavando um túnel porque jurava que ali existia ouro. E que depois disso, a cabana tinha passado a servir de refúgio para vaqueiros que viajavam com o gado pela região. Varias vezes havia sido atacada por índios e por isso o reforço nas portas e janelas, como ainda se podia notar, mas não tinha conseguido resistir a um bando de jovens que havia passado por ali dez dias atrás sem se preocupar com a fogueira. Terminou notando que, mesmo queimada, ela tinha certa beleza poética, heróica. Sozinha no meio da floresta, ainda orgulhosa, lutando para ficar em pé. O grupo ficou parado em silêncio, contemplando não mais uma cabana, mas uma história. Imaginando todas as pessoas que haviam passado por ali, a vida do garimpeiro, sua morte, os vaqueiros, os índios.
O silêncio foi quebrado pela voz do guia: “Vamos?”. E foram conversando e observando a paisagem.
O terceiro grupo chegou ao ponto de encontro feliz, mas exausto. Os outros dois grupos já estavam lá. O primeiro, dos apressados, com metade das pessoas já querendo voltar e a outra metade estressada com os grupos que se atrasaram. O segundo grupo estava tranqüilo, a caminhada tinha sido boa, uns, reclamando do calor, outros elogiando as paisagens, um grupo normal.
Já o terceiro grupo era diferente. Eram todos mais que amigos, eram cúmplices. Havia um nível de energia, camaradagem e união que claramente não existia nos outros. O guia era mais que um guia, era um líder. Alguém que tinha iluminado o caminho, mostrado coisas que eles não conheciam e compartilhado experiências emocionais. “Havia saído da trilha e feito todo mundo refletir sobre si mesmo, sobre os outros, sobre a vida”.



Como é bom ser capaz de olhar em volta e conseguir descobrir a história, a razão e os motivos que estão atrás das coisas.
Para isso é preciso se dispor a enxergar, disponibilizar um tempo, abrir a alma e aquecer o coração.
Em todas as situações da vida e nas menores coisas existe algo precioso que está escondido! Só quem se acalma e abre sua mente consegue perceber. E então tudo fica mais tranqüilo, mais leve, mais suave!
A trilha da vida vai construindo a história pessoal de cada um, a história da família, a história do lugar onde mora, a história do país onde nasceu.
A trilha permite a superação dos obstáculos e a celebração das conquistas.
E que Deus nosso Pai, nos ilumine e nos acompanhe na descoberta e na construção da história da nossa vida.















 Edição n.º 988 - página 03